sexta-feira, 2 de setembro de 2011

pradiante


projetada pra diante
a vida, sem se temer errante, vai !

e numa clara forma de ser,
fala
ouve
canta
exageradamente

e assim,  nesses extremos, a beleza se opera :
firme
imediata
impressionante

com sabor doce
de gesto moderadamente ácido
ele repulsa o amargo
e, sorri !

vai, segue assim
com a necessária hipocondria
sem a menor nostalgia

pra só bem depois descansar
e de prazer !