terça-feira, 20 de outubro de 2009

pelas raras flores

Engraçado ...
Tudo segue, o tempo passa
E tem coisas que por mais que relutemos, permanecem ...

Diante delas poderia me opor, sofrer, arrepender
Distante delas não garanto que estaria sorrindo ou aliviado
Enfrentando-as, aprimoro, renovo, me aqueço e decido

Daí, me restará a tentativa, ainda vã, de olhar para frente
Colher uma outra emoção, qualquer uma
e refazer o caminho

Preciso entender as marcas que o caminho de agora imprime
Lê-las com a devida importância
E até Guardá-las, se necessário!

Chegou a hora de considerar a ferida cicatrizada
E ostentá-la tal qual uma medalha de guerra
Carregá-la sorrindo e orgulhoso !

Lutemos noutras frentes, a batalha findou, todos ganharam!
Isso mesmo ... todos ganharam!

A marca que carrego no peito fora gravada em todos
é tão igual e bela quanto a que enfeita o meu fardão

Portanto, vigiemos atentamente os dias que nascerão
Só eles trarão o vigor necessário à nova luta ...

Só eles farão a disforme cicatriz em rara flor !

Aos dias ... Avante!

sábado, 17 de outubro de 2009

É bem por aí ...

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

O empenho pelo incomum

A retina brilha com os novos olhares
Retomando o caminho já esquecido, avanço
O peito cuida de separar o que dói e o que faz doer
a vida se revela bem maior diante da nova era

Naturalmente lançado ao novo viver
a caminhada, mais uma vez, se revelou árida
a coragem, mais do que nunca, persiste e pulsa
o amor, indiscutivelmente, canta e sorri

Posto isso, só cabe o incomum
decidindo quebrar os cristais da aflição
fundindo as traves do silêncio
esgotando as lágrimas no escuro
esquecendo o que é o tormento

Sentindo o renovar
vejo dentro em mim um novo humor
para que sem vacilar
eu possa me refazer sem queimar
prosseguir sem voltar
ouvir sem calar
e existir sem parar

domingo, 4 de outubro de 2009