quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Diagnóstico

é despretenciosa a atenção
voluntário o afeto
firme o olhar
clara a intenção

resumido à esperança
conduzo o dia
derramo o sorriso
supero os pesares

sonego o ciúme
vigio a alegria
sitio a dúvida

perco as palavras

a aparência:
sorumbática,
trêmula,
titubeante

o ânimo:
renovado,
disposto,
vibrante

os dias:
únicos,
doces,
novos !

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Movimento

Acordava com o teu cheiro
os acordes do nosso caminhar embalavam os dias
no entanto, hoje "bem pouco, quase nada" permanece

Agora, diante do novo começo
largo um sorriso com um encanto qualquer
um que balance
que estenda os dias
estique a tarde
amplie as noites

Não há dor, realmente nada disso
E o que há ?!
existe um aperto hora ou outra
uma lembrança salteada
um sorriso choroso
uma lágrima perdida

E aí?!
vivamos o que resta
queimemos até o fim
não soneguemos nada!

E o novo ?!
vem com cada amanhecer
se desenhando
ainda não vejo rosto, humor
nem ouço vozes
mas está lá
as tintas correm para desenhá-lo
e não há pressa
apenas o desejo de vê-las noutra história
elas urgem colorir outra

E o medo?!
A fase não cabe tolice, receio e cautela
A hora é de puro ímpeto
da excessiva ousadia
e necessária teimosia

A hora carece de movimento!